Páscoa

0
595
Páscoa. Foto: Divilgação

A Semana Santa tem o seu ponto culminante na celebração da Páscoa, nessa noite vamos saudar-nos, tal como fazem os cristãos em todo o mundo, com estas palavras: “Cristo ressuscitou – ressuscitou verdadeiramente, feliz Páscoa!”
Cristo Ressuscitado é quem nos une e reúne e ao mesmo tempo permanece invisível aos nossos olhos, Ele está misteriosamente presente para cada ser humano, para cada um de nós. Na cruz, Jesus sofreu terrivelmente e morreu como um criminoso. Mas, no fundo desse sofrimento discerne-se uma realidade ainda mais profunda. Vemo-la aparecer no ícone da Cruz: Jesus abre os braços para acolher todos os seres humanos no seu amor. Mesmo com as nossas falhas e a nossa violência interior, somos acolhidos por Ele.
Assim, o sofrimento e a morte de Jesus transformam o nosso sofrimento e a nossa morte. O que há de trágico não é removido, permanecemos desprovidos perante mal. Mas, no profundo do coração brilha uma luz de esperança. A chama pode vacilar, mas não será extinta.
Para alimentar a chama da esperança precisamos uns dos outros. Jesus Cristo nessa Páscoa nos quer unidos e reunidos. E ele quer fazer de nós pessoas apaixonadas pela comunhão, artesãos de amizade entre todos.
A chama de esperança que Cristo ilumina em cada um une todos os batizados. Tornar esta unidade mais visível é a condição para que o fogo do amor de Cristo possa brilhar para todos os que procuram esperança.
Nessa páscoa procuremos descobrir a alegria, não como um sentimento sobrevalorizado nem como uma felicidade individualista que levaria ao isolamento, mas como a certeza pacífica de que a vida tem sentido.
A alegria do Evangelho vem da confiança de que somos amados por Deus. Longe de uma exaltação que foge aos desafios do nosso tempo, torna-nos ainda mais sensíveis ao sofrimento dos outros.
Nessa páscoa procuremos através de contatos pessoais, ajudar os pobres. Não esperemos nada em troca, mas estejamos, no entanto, atentos a receber deles o que eles gostariam de partilhar conosco. Deixemos, assim, que os nossos corações se abram e se alarguem.
Por fim, termino citando o querido amigo Papa Francisco: “O Pastor ressuscitado vai à procura de quem se extraviou nos labirintos da solidão e da marginalização; vai ao seu encontro através de irmãos e irmãs que sabem aproximar-se com respeito e ternura e fazer sentir àquelas pessoas a voz d’Ele, uma voz nunca esquecida, que as chama à amizade com Deus. Assim ressoa, a uma só voz, em todas as partes da terra, o mais belo anúncio: ‘O Senhor ressuscitou verdadeiramente, como havia predito’! Ele, que venceu as trevas do pecado e da morte, conceda paz aos nossos dias”. Feliz e santa Páscoa ao querido povo de Vargem Grande do Sul!
Pe. Luis Fernando da Silva, vargengrandense, trabalha em Brasília na CNBB.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui