Ação da Polícia Civil e PM prendeu traficante de skunk

0
668
Droga skank encontrada é mais forte que a maconha normal. Foto: Arquivo Pessoal

Um rapaz suspeito por traficar a droga conhecida como skunk ou super maconha, na Cohab III, no dia 16, foi preso durante uma ação da Polícia Civil e da Polícia Militar de Vargem Grande do Sul. Segundo o boletim de ocorrência, há aproximadamente dois meses as equipes vinham recebendo informações de que um rapaz estaria realizando tráfico de drogas por WhatsApp.
A Polícia Civil Foi pediu o mandado de busca e apreensão na residência do investigado no início do mês de março, que foi deferido. No entanto, os policiais obtiveram novas informações de que a droga comercializada tratava-se da droga conhecida como skunk ou super maconha, então foi necessário retardar o cumprimento do mandado para que fosse confirmada a veracidade das informações.
Neste período, através de informações obtidas por diversas fontes e de maneira sigilosa, confirmou-se que o rapaz realmente estava comercializando a droga conhecida por skunk, droga bem mais potente que a maconha, e por esta razão, seu preço de venda é bem mais elevado, sendo que cada grama desta droga é vendida por aproximadamente R$ 50,00.
No dia 16, os policiais militares e civis foram a residência do suspeito e o encontraram. De início, ele negou estar realizando comércio de drogas. Porém, apontou um local onde estaria guardando uma porção, segundo ele, de maconha sativa, a qual se destinava ao seu próprio consumo.
No local indicado, que era um pequeno depósito no quintal da residência, foi encontrado um pote de vidro com uma porção da droga embalada em plástico transparente. Segundo o boletim, os policiais estranharam o fato do rapaz ter apontado de imediato o local onde a substância estava, entendendo que ele teria agido assim para evitar novas buscas.
Por essa razão, voltaram a vasculhar o local, Assim, encontraram um saco plástico escondido em meio a alguns objetos. Dentro dele havia grande quantidade da mesma droga encontrada anteriormente, verificando que as porções na verdade se tratavam de skunk, fato que confirmou as informações da polícia.
Ainda foi apreendida uma carteira com RS 536,00, que o rapaz não explicou a origem, e um aparelho celular. O suspeito continuou negando que comercializava as drogas, apresentando uma versão de que a porção menor havia comprado por R$ 50,00 para o seu consumo e que o restante teria ele próprio produzido em um vaso. No entanto, no local não foi encontrado nenhum recipiente ou indicio que indicassem que a droga pudesse ter sido plantada e produzida por ele.
O rapaz foi conduzido até a Delegacia de Polícia Civil para as providências cabíveis. Ele foi autuado e encaminhado à Cadeia Pública de São João da Boa Vista, onde permanecerá a disposição da Justiça, sendo acompanhado por seu advogado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui