Polícia Civil desmantela ‘quadrilha do Pix’

Com a prisão de quatro homens no dia 23, a Polícia Civil desmantelou a ‘quadrilha do Pix’. A investigação teve início em novembro de 2022, com o sequestro de um homem de Vargem. 
No dia 16 de novembro foi registrado um boletim de ocorrência no Plantão da Polícia Civil de São João da Boa Vista por volta das 7h, referente ao desaparecimento de um homem de 36 anos, desde o dia 14. No mesmo dia, por volta das 21h30, o homem voltou à sua casa e um novo boletim foi registrado. Ele relatou que no dia 14 estava em um bar da cidade, por volta das 19h30, quando estava indo embora, foi abordado por quatro rapazes, que exigiram que ele tomasse mais uma cerveja na companhia deles. 
Após, a vítima se lembrava apenas de acordar na madrugada seguinte em um cômodo de um imóvel, no local conhecido como “Favelinha do Fortaleza”, onde estavam vários homens, sendo que um estava com uma faca. A vítima informou que eles o ameaçavam e o obrigavam a fazer várias transferências bancárias via Pix, para contas diversas. 
A vítima teve sua liberdade restringida pelos criminosos até o dia 16 de novembro, quando aproveitando-se de um descuido dos criminosos, pois seu celular estava acabando a bateria, e eles acreditavam que já havia acabado, conseguiu passar uma mensagem via WhatsApp para sua esposa, dizendo onde estava. 
Sua mãe acionou a Polícia Militar e foi ao local, onde a vítima disse que estava tudo bem. Após, o homem informou que agiu daquela maneira por ter sido obrigado pelos homens, dizendo que se dissesse o que realmente estava acontecendo, mataria ele e sua mãe. A partir de então, os investigadores e agentes policiais iniciaram as buscas a fim de esclarecer o ocorrido e identificar os criminosos. 
À Gazeta de Vargem Grande, o delegado Antônio Carlos Pereira Júnior informou que, durante as investigações, a Polícia Civil conseguiu identificar o morador do imóvel onde a vítima ficou sob as ameaças dos criminosos, bem como, os titulares das contas para as quais foram realizadas as transferências via Pix. “Apuramos ainda que foram realizadas 10 transferências para as contas de três pessoas, sendo que uma recebeu sete Pix no valor de 1.500, a outra um Pix no valor de R$ 220,00 e a outra um Pix no valor de R$ 100,00”, disse. 
“Após a identificação de todos os envolvidos, esta autoridade policial representou pela prisão temporária de todos eles, sendo que no dia 17 de fevereiro, a Polícia Civil, com o apoio da Polícia Militar, prendeu três dos investigados, restando o outro, justamente o que havia recebido a maior quantia. No dia 23, os policiais civis efetuaram a prisão dele. Ao serem interrogados, todos apresentaram versões claramente mentirosas e divergentes sobre o ocorrido, ficando claro o envolvimento de cada um deles no crime praticado. As investigações foram concluídas e os criminosos indiciados por crimes de extorsão qualificada e associação criminosa, sendo que esta autoridade representou ao Judiciário, por ter decretado suas prisões preventivas”, completou. 
Segundo o informado, durante as prisões também foram apreendidos droga e dinheiro em um dos locais utilizados pela quadrilha. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui