Vargem tem mais um caso positivo de dengue e um de chikungunya

0
643
Vargem tem mais um caso positivo de dengue e um de chikungunya. Foto: Arquivo

O Departamento Municipal de Saúde informou à Gazeta de Vargem Grande que nas últimas semanas foram confirmados mais um caso de dengue no município e um caso de chikungunya.
Assim, até a última semana, foram 41 notificações de casos suspeitos de dengue, sendo sete positivos, além de uma notificação de caso suspeito de chikungunya, com um paciente positivo.
O Ministério da Saúde informou na terça-feira, que o Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) realizado em 3.946 cidades neste ano, detectou 357 municípios em situação de risco de surto de dengue, zika e chikungunya. Isso significa que mais de 9% das cidades que fizeram o levantamento tinham altos índices de larvas do mosquito.
Vargem Grande do Sul também participou do levantamento e ficou fora do índice de risco. No entanto, o Ministério da Saúde observou que as medidas de contenção do avanço do mosquito devem ser mantidades em todas as cidades.
O Mapa da Dengue, como é chamado o LIRAa, é um instrumento fundamental para o controle do mosquito Aedes aegypti. Com base nas informações coletadas no LIRAa, o gestor pode identificar os bairros onde estão concentrados os focos de reprodução do mosquito, bem como o tipo de depósito onde as larvas foram encontradas. O objetivo é que os municípios tenham melhores condições de fazer o planejamento das ações de combate e controle do Aedes aegypti.

CRIADOUROS

A metodologia permite identificar onde estão concentrados os focos do mosquito em cada município, além de revelar quais os principais tipos de criadouros, por região. Os resultados reforçam a necessidade de intensificar imediatamente as ações de prevenção contra a dengue, zika e chikungunya, em especial nas cidades em risco e em alerta.
O armazenamento de água no nível do solo (doméstico), como tonel, barril e tina, foi o principal tipo de criadouro nas regiões Nordeste e Centro-Oeste. Nas regiões Norte e Sul o maior número de depósitos encontrados foi em lixo, como recipientes plásticos, garrafas PET, latas, sucatas e entulhos de construção. Na região Sudeste predominou os depósitos móveis, caracterizados por vasos/frascos com água, pratos e garrafas retornáveis.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui