Programa Ver e Viver é lançado em Vargem

0
1075
Projeto que envolve a ArcelorMittal, Morandin Industrial e prefeitura de Vargem foi apresentado no dia 2. Foto: Reportagem

Identificar crianças com dificuldades de visão, encaminhá-las para um especialista e, se necessário, distribuir óculos e encaminhar para tratamento para corrigir esses problemas. Esse é o objetivo do Programa de Acuidade Visual Ver e Viver, lançado na última quinta-feira, dia 1º, em Vargem Grande do Sul.
A iniciativa foi apresentada a pais, alunos, professores e autoridades municipais e é uma realização da empresa Morandin Industrial e Comercial e com o apoio da Fundação ArcelorMittal e da Prefeitura de Vargem Grande do Sul.
A apresentação foi feita em um auditório da empresa Morandin, onde estiveram presentes o prefeito Amarildo Duzi Moraes, a primeira dama Maria Aparecida Teijada Moraes, o vice-prefeito José Roberto Rotta também representando a Loja Maçônica Renascença, a coordenadora do Conderg Rita de Cássia Zanata, a diretora de saúde Maria Helena Zan, a diretora de ação social Eva Vilma da Silva Rodrigues, José Roberto Pereti, representando a Associação Comercial e Industrial (ACI), os representantes da ArcelorMittal Marcos Bueno Barros Alves e Paulo Roberto Oliboni, os representantes do Rotary Club Faislhe e Roberto Quesada, a diretora de educação Renata Taú Perroni, o chefe de gabinete Celso Bruno, os vereadores Serginho da Farmácia (PSDB), Laércio (PPS), Célio (PSB), Canarinho (PSDB) e Gabé (PTB), empresários, professores, coordenadores, pais e alunos.

Projeto

Segundo o relatado durante a solenidade, Vargem Grande do Sul será a primeira cidade do país a fazer parte do projeto e a Morandin, a primeira empresa a participar dele.
No projeto Ver e Viver, professores da rede municipal de ensino, do 1º ao 5º ano, serão capacitados para identificar os alunos que tenham dificuldades em relação a sua visão. Eles serão encaminhados para consulta no Conderg, em Divinolândia, e aqueles que precisarem usar óculos, irão ganhá-lo.
A Prefeitura irá transportar de ônibus as crianças, junto de um de seus responsáveis, até Divinolândia para se consultarem. Já a Morandin irá arcar financeiramente com os custos das consultas e dos óculos.
Se durante a consulta for constatado que o aluno precisa de algum tratamento que não seja a utilização de óculos, o mesmo será encaminhado para passar com especialistas na Unicamp e também em outros centros, dentro da rede de atendimento do Sistema Único de Saúde.

Comunidade

O empresário José Luís Morandin e seu filho Henrique, à frente da Morandin Industrial e Comercial, optaram entre os projetos desenvolvidos pela Fundação ArcelorMittal, por este que visa identificar e sanar problemas de visão das crianças da rede pública de ensino para desenvolvê-lo em Vargem.
Em entrevista à Gazeta, José Luís ponderou que nem todas as famílias têm condições de arcar com uma consulta particular a um especialista. Também avaliou que às vezes, um atendimento pelo SUS pode demorar, por isso a importância dessa ação para o município. “Procuramos um projeto que mais beneficiaria a comunidade de Vargem e esse programa atende justamente crianças em idade escolar do primeiro ao quinto ano do ensino fundamental”, disse. Se a criança precisa usar óculos, mas ainda não sabe, pode ficar apática, dispersa, ter prejuízo no aprendizado, conforme avaliou. Por isso, a necessidade de se investir em uma ação dessas.
Ele também destacou a importância da AcelorMittal, a maior produtora de aço do mundo, na parceria. De acordo com o empresário, para expandir os projetos sociais que desenvolve, a ArcelorMittal recorre aos seus clientes/parceiros, como a Morandin. “É muito importante poder desenvolver uma ação dessas com uma parceira que está presente no nosso dia a dia, como a AceloorMittal, atendendo a um projeto deles”, observou.

ArcelorMittal

A ArcelorMittal é um grupo siderúrgico e por meio da Fundação ArcelorMittal tem uma trajetória positiva na implementação, criação e apoio a projetos sociais. Ao longo de 30 anos de existência, a fundação criou um portfólio de projetos próprios nas áreas de cultura, educação, promoção social, esporte e saúde. Identificou oportunidades de patrocínio de projetos, por meio de legislações municipais, estaduais e federal de incentivo fiscal.
Nesses 30 anos a Fundação ArcelorMittal já investiu R$ 13 milhões, entre recursos próprios e incentivados, teve 271,5 mil beneficiados diretos, 3 mil educadores envolvidos, oito projetos próprios e 57 projetos patrocinados.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui