Caso Gláucio: Polícia pede prisão preventiva de acusado

0
10444
Jhonatan responde pelo latrocínio de Glauco Donizete da Costa. Foto: Reprodução Facebook

A Polícia Civil de Vargem Grande do Sul pediu na quinta-feira, dia 30 de agosto a prisão preventiva de Jhonatan Araújo de Miranda pelo latrocínio do ex-bancário e cinegrafista Gláucio Donizetti da Costa, ocorrida no final de julho em Vargem. Ele está detido desde o dia 14 de agosto, quando foi localizado em Tatuí, cidade onde morava.

O corpo de Gláucio foi encontrado em sua casa no dia 3 de agosto. Ele estava dentro do box do banheiro, coberto de roupas e outros objetos e já em estado inicial de decomposição. O laudo da necropsia apontou que ele havia sido morto por um golpe na carótida. Após um intenso trabalho de investigação, a Polícia Civil de Vargem Grande identificou o suspeito e pediu sua prisão temporária no dia 7 de agosto.

Jhonatan confessou ter matado Gláucio no dia 31 de julho. Ele estava hospedado na casa do ex-bancário e cinegrafista desde o dia 27 de julho e no dia 30 foi visto fazendo filmagens da romaria dos Cavaleiros de Sant’Ana, junto de Gláucio.

Latrocínio

Na quinta-feira, dia 30 de agosto, a equipe da Polícia Civil informou à Gazeta de Vargem Grande que concluiu que o rapaz que veio para a cidade para subtrair objetos da vítima, em especial uma câmera fotográfica.

Ao analisar o conteúdo do celular do rapaz, foi verificado que antes do autor vir para vargem, Gláucio enviou para ele, via Whatsapp, uma imagem de parte de seu equipamento de foto e filmagem, uma vez que Jhonatan foi convidado pela vítima para auxiliá-lo em seu trabalho.

No domingo, dia 30 de julho, Jhonatan foi visto ajudando Gláucio nas filmagens da Romaria dos Cavaleiros de Sant’Ana.

Após o crime, o rapaz foi até o terminal rodoviário de Vargem, onde fez selfies e vídeos mostrando não só as malas furtadas da casa de Gláucio, mas também exibindo um comportamento de zombaria, sorrindo e mostrando a língua nas imagens.

“Sonho conquistado”

Ele tomou um ônibus até Campinas e de lá seguiu para Sorocaba, onde pretendia tomar um ônibus para Tatuí, cidade onde residia. No entanto, como chegou no final da noite, não havia mais ônibus para seu município, tendo que se hospedar em um hotel em Sorocaba. Neste estabelecimento, Jhonatan fez uma foto da câmera que levou da casa de Gláucio e enviou para amigos, com os dizeres “Sonho conquistado”.

De acordo com a Polícia Civil, nas duas vezes em que foi interrogado, Jhonatan não demonstrou nenhum tipo de arrependimento pelo crime que cometeu e que confessou após ter sido pego pelos policiais.

Ainda conforme a informação da Polícia Civil, todo o material que ele subtraiu da casa de Gláucio, como roupas, celulares, notebook, perfumes importados, câmera, binóculos, etc, somou mais de R$ 35 mil.

Segundo a polícia, todas as versões apresentadas por Jhonatan para o caso foram rebatidas por meio das evidências obtidas durante a investigação. Assim, restou concluído para a Polícia Civil que Jhonatan somente veio para Vargem para subtrair bens de Gláucio e que no final, não encontrou outro meio de deixar a casa de Gláucio sem matá-lo.

Jhonatan confessou ter matado Gláucio. Foto: Reprodução Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui