Presépio, uma tradição guiada pela fé

0
824

Todos os anos quando chega dezembro, as igrejas e famílias cristãs montam os seus presépios. Uma tradição que vai preparando e ajudando a criar o clima natalino nos lares e também na comunidade. Alguns deles são enormes e outros mais singelos, porém, todos sempre cheios de muito amor e fé, representando um momento muito importante para os cristãos, o nascimento de Jesus Cristo.

Os presépios contam através de suas imagens, o nascimento de Jesus, onde as principais figuras que os compõem são Maria, José e o Jesus menino em uma manjedoura. Neles também são representados os três Reis Magos, Belchior, Baltazar e Gaspar que encontraram Jesus junto a sua mãe Maria, e o homenagearam lhe presenteando com mirra, ouro e incenso. Também são representados nos presépios animais como o boi e o jumento.

Historicamente, o primeiro presépio foi montado na noite de Natal por São Francisco de Assis em Greccio. São Francisco o montou em uma gruta, usando um boi e um burro vivos e um pouco de feno, porém sem os personagens do evangelho e acima da gruta, o sacerdote celebrou a santa missa.

Atualmente, a tradição de montar em casa um presépio já não é mais como antigamente, pois várias pessoas não possuem mais este hábito, porém, ele resiste ao tempo e a Gazeta de Vargem Grande conversou com algumas pessoas que dedicaram uma parte do seu tempo na montagem de lindos presépios em suas residências.

Alexsander de Freitas Santa Maria contou um pouco sobre esta tradição natalina em sua família. “Natal é festa de alegria e harmonia, o Jesus menino está a caminho, neste período de advento somos convidados a preparar o nosso coração, como a manjedoura vazia, assim deve estar nosso coração, vazio de mágoas e rancores estando à espera do Emanuel, o Deus conosco. A montagem do presépio em nossa família iniciou em 2014, de lá pra cá foi mudado muito a estrutura, visando a criatividade. E neste ano de 2019, junto a minha mãe Sônia, elaboramos um projeto que desse mais vida ao cenário, colocamos peixes no lago, e isso gerou um encanto ainda maior. Na manjedoura ao lado de São José, colocamos a imagem de Maria grávida, e na noite do dia 24, trocamos a imagem de Nossa Senhora grávida, pela imagem da mesma ajoelhada e colocamos o menino Jesus. Destaco a importância deste trabalho artesanal e religioso, é muita emoção de se reunir ao redor do presépio na noite do dia 24, com as luzes piscando e aquele clima religioso na chegada do menino”, disse.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui