Associação Setembro realiza campanha Dezembro Laranja

0
2468

Neste mês de dezembro, a Associação Setembro em parceria com a dermatologista dra. Helena Rocchetto, promoveu a campanha Dezembro Laranja sobre prevenção do Câncer de Pele, onde o principal objetivo foi alertar a população sobre os sinais da doença, auxiliando no seu diagnóstico precoce.

De acordo com o informado através de um release da campanha divulgado pela Associação Setembro, no Brasil 30% dos tumores malignos são de pele e a dermatologista explica que os principais fatores de risco são: exposição solar, tanto a exposição diária, crônica (indo até o trabalho, saindo para o almoço, no trânsito), quanto episódios de exposição solar intensa e desprotegida (nos momentos de lazer, como piscinas e parques; fototipo, que seria pessoas com pele e olhos claros, com cabelos ruivos e loiros, têm um risco maior; genética, que é ter alguém na família que já teve câncer de pele também aumenta este risco, principalmente no caso do câncer de pele mais agressivo, o melanoma. Quem já teve um familiar com câncer de pele deve redobrar a atenção; pessoas com muitos nevos (pintas), cicatrizes e feridas crônicas, tabagismo e imunodepressão também são fatores que aumentam o risco para a doença; uma ferida que não cicatriza deve ser avaliada por um dermatologista.

Para as pintas, a dra. Helena salienta que vale lembra da regra ABCDE: o melanoma é o tipo de câncer de pele mais agressivo e seu diagnostico precoce é muito importante. A regra do ABCDE auxilia na detecção de pintas suspeitas. Veja como ela funciona: A (assimetria), observe se sua pinta é simétrica. Uma pinta que tem a metade diferente da outra deve ser avaliada por um especialista; B (bordas), fique atento se o contorno de sua pinta é indefinido; C (cor), o ideal é que sua pinta tenha apenas uma cor, uniforme. Uma pinta com várias cores (marrom, preto, vermelho, branco, cinza) é uma pinta suspeita; D (diâmetro), pintas com tamanho maior que 5 mm devem ser avaliadas por um especialista; E (evolução), fique atento às pintas que mudam de tamanho, forma, espessura e cor durante o tempo.

Se você identificou alguma pinta alterada seguindo essa regra, a doutora sugere que procure imediatamente por um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui