Produtor rural se queixa da Casa da Agricultura

0
751
Casa da Agricultura foi fundada em 1962. Foto: Reportagem

Um produtor rural procurou a Gazeta de Vargem Grande para se queixar do fechamento da Casa da Agricultura local durante a maior parte da semana e que, conforme solicitado, compareceu no local na quarta-feira, dia 8, para o plantão e não havia atendimento.

Durante mais de 50 anos, a Casa da Agricultura atendeu aos produtores de Vargem Grande do Sul diariamente para prestar apoio técnico aos agricultores sobre diversos temas, como a obtenção de crédito agrícola, seguro rural, transferência de tecnologia, planejamento da propriedade, elaboração de projetos de recuperação do solo, reflorestamento, adequação de estradas rurais, entre outros.

No entanto, no final de setembro, com a transferência do engenheiro agrônomo que lá atuava para São João da Boa Vista, a Casa da Agricultura está com suas portas fechadas a maior parte da semana.

Com a transferência de Ciro Manzoni, que durante 11 anos dirigiu a Casa da Agricultura local para São João da Boa Vista, o órgão em Vargem acabou sem nenhum profissional para dar suporte aos agricultores do município.

O engenheiro agrônomo Francisco Caetano, diretor da CDRS Regional de São João da Boa Vista, onde a Casa da Agricultura de Vargem está ligada, esclareceu que os atendimentos estão sendo realizados por plantão, pelo engenheiro agrônomo da Casa da Agricultura do município de Casa Branca, às quartas-feiras, no período das 9h às 15h30.

O diretor ainda informou que produtores de leite do município estão sendo atendidos pelo Programa de Leite da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio de um arranjo regional de assistência e pela modalidade de extensão rural coletiva, realizada por técnicos da CDRS Regional São João da Boa Vista e dos municípios no entorno de Vargem Grande do Sul.

Quanto ao funcionamento diário da Casa da Agricultura de Vargem, o engenheiro pontuou que eles atualmente não têm funcionário do quadro da respectiva Regional da CDRS, disponível para um atendimento integral. “De imediato, para a abertura diária seria necessária a disponibilidade de um servidor para transferência para o município ou a celebração de convênio entre a Prefeitura Municipal e a Secretaria de Agricultura e Abastecimento”, disse.

“Para mais informações aos produtores, disponibilizamos um aviso na porta da Casa da Agricultura, com o telefone da CDRS Regional São João da Boa Vista, à qual a unidade está ligada”, completou.

Plantão

O engenheiro agrônomo responsável pela Casa da Agricultura de Casa Branca, André Luís Antonialli, informou à Gazeta que além de Casa Branca, atende junto com a Regional os três municípios que estão sem atendimento, sendo eles Itobi, Aguaí e Vargem.

Quando possível, ele disse que realiza o plantão nas cidades presencialmente. No entanto, ele explicou que a falta de funcionários pode impossibilitar o atendimento na cidade, como foi o caso desta última quarta-feira, dia 8.

Porém, conforme explicou, os produtores rurais podem contata-lo para agendar um atendimento de maneira que seja mais viável ou então, que podem ir até a Casa da Agricultura de Casa Branca durante qualquer dia da semana, não apenas às quartas-feiras.

O engenheiro ressaltou ainda que em novembro, durante os plantões em Vargem, recebeu grande demanda da parte de animais, o que é de responsabilidade da Defesa Agropecuária, ou seja, é outro Departamento, uma vez que a Casa da Agricultura cuida da extensão rural. Ele pontuou que a Defesa Agropecuária só atende em Casa Branca e em São João da Boa Vista.

Prefeitura

A reportagem da Gazeta de Vargem Grande entrou em contato com a prefeitura de Vargem sobre a questão e foi informada que o prefeito Amarildo Duzi Moraes solicitou agenda com o secretário de Agricultura e Abastecimento, Gustavo Junqueira, para tratar do assunto do funcionamento da Casa da Agricultura. Segundo o informado, a prefeitura tem planos para o local e, após a reunião com o secretário, o prefeito irá se manifestar a respeito.

Em Vargem Grande do Sul, a prefeitura não cedia servidores à Casa da Agricultura, que é um órgão do Estado, para colaborar com os serviços prestados. Ao contrário do que acontece em algumas cidades da região, como por exemplo, Divinolândia, onde os funcionários da Casa da Agricultura são municipais e a prefeitura ainda dá apoio com materiais de limpeza, escritório entre outras coisas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui