Vargem volta a cair em ranking ambiental

0
937
Moradores que desejarem contribuir com a arborização da cidade, bastam recorrer ao Viveiro de Mudas da Prefeitura, no Bosque Municipal

Principal avaliação de desempenho ambiental do Estado de São Paulo, o Programa Município Verde Azul divulgou na manhã da quinta-feira, dia 5 de março, o ranking de municípios integrantes do programa e entregou o prêmio Troféu Franco Montoro para as cidades que lideraram o levantamento, baseado em dados colhidos em 2019. Vargem Grande do Sul, além de não ter obtido o certificado mais uma vez, despencou no ranking, caindo da 289ª colocação para a 416ª e na região, ficou à frente apenas de Aguaí.

O Programa Município Verde Azul, da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente, tem o propósito de incentivar, apoiar e medir de maneira descentralizada a agenda ambiental dos municípios paulistas.

Ao todo, 92 cidades receberam Certificação por notas também acima de 80 pontos e 62 foram qualificadas ao obterem notas entre 60 e 79,9 no ranking geral até 100. São José do Rio Preto foi a campeã no ranking geral totalizando 97,00 pontos seguida de Bragança Paulista com 94,74 e Novo Horizonte com 94,23. Vargem Grande do Sul recebeu nota 9,41.

Para compor a nota, são avaliados itens como arborização, biodiversidade, conselho ambiental, educação ambiental, esgoto tratado, estrutura ambiental, gestão das águas, município sustentável, qualidade do ar, resíduos sólidos e uso do solo. No ranking divulgado no ano passado, com dados colhidos em 2018, foi a falta de investimento em arborização que teve impacto negativo no desempenho de Vargem Grande do Sul.

Desempenho

Já na avaliação dos dados de 2019, Vargem repetiu o desempenho pífio em arborização, recebendo mais uma vez nota 0 no quesito. No entanto, esta não foi a única avaliação em que a cidade zerou. Vargem teve nota zero também nos quesitos Conselho Ambiental, Estrutura e Educação Ambiental e Município Sustentável.

A maior nota que Vargem teve foi no quesito Biodiversidade, pelo qual recebeu 2.74 pontos.

Evolução

Em 2011, quando o ranking foi anunciado pela primeira vez, Vargem ficou em 557º lugar, com 10.41 pontos. No ano seguinte, subiu para a 289ª colocação, com 44.3 pontos. Já em 2013, ficou em 529º lugar, o pior desempenho até hoje, com 11.03 pontos. No ano seguinte, subiu algumas posições, para o 510º lugar, obtendo 18,61 pontos. Em 2015, ficou na 389ª posição, com 18.61 pontos e em 2016, subiu para o 219º lugar, melhor posição obtida em todas as participações, com 44.92 pontos.

Já em 2017, Vargem caiu para a 383ª colocação, com 11.26 pontos e na edição de 2018, subiu para a 289ª posição, com 18.84 pontos.

Região

Nesta edição, 613 municípios paulistas participaram do programa, que tem como objetivo estimular e auxiliar as prefeituras na elaboração e execução de políticas públicas estratégicas para o desenvolvimento sustentável do estado de São Paulo.

Na região, Divinolândia foi a melhor colocada, ocupando a 28ª posição ao somar 89,7 pontos. Já Águas da Prata ficou em 34º lugar com 89,77 pontos. Essas foram as únicas cidades da região que receberam certificados de Município Verde Azul.

São Sebastião da Grama ocupou o 120º lugar com 69,41 pontos. Itobi conseguiu 35,6 pontos e se estabeleceu na 231ª colocação. Com 46,44 pontos, São José do Rio Pardo alcançou a 191ª posição.

Espírito Santo do Pinhal recebeu 11,78 pontos e ficou em 353º lugar. São João da Boa Vista teve apenas 9,80 pontos e ficou na 395ª posição. Casa Branca ficou em 416º, com 9,41 pontos, mesma colocação de Vargem. Com 7,81 pontos, Aguaí foi o único município da região atrás de Vargem, ocupando a 486º lugar.

Aproximadamente 800 mudas de árvores foram plantadas na Cohab VI

Durante o mês de fevereiro o Departamento de Agricultura e Meio Ambiente da Prefeitura Municipal de Vargem Grande do Sul realizou o plantio de aproximadamente 800 mudas de árvores nativas na Cohab VI,  sendo mais de 20 espécies diferentes.

De acordo com a prefeitura, além da Cohab VI, o Departamento de Meio Ambiente tem realizado a arborização em vários espaços públicos, a exemplo da Avenida Antônio Bolonha onde várias árvores que haviam morrido foram replantadas.

A prefeitura pontuou que o reflorestamento é uma ação ambiental que visa repovoar áreas que tiveram sua vegetação removida pelas ações humanas como a expansão de áreas agrícolas, empreendimentos urbanos, entre outros ou ainda por forças da natureza como incêndios.

Segundo o informado, o município também conta com o programa “Adote um Bem Público” que é uma parceria, onde a prefeitura pode colaborar com um responsável pela adoção na administração de uma praça ou uma área verde, inclusive com a sessão de materiais, equipamentos entre outras coisas. “Esse tipo de parceria com a administração pública é muito importante, pois assim conseguimos manter as áreas verdes do município e trazer melhora na qualidade de vida da população”, comentou.

Os interessados na adoção de um bem público deverão procurar o Departamento de Meio Ambiente e o Departamento de Convênios da Prefeitura, onde receberão todas as informações e orientações neste sentido. As informações também poderão ser obtidas através do telefone (19) 3641-9028.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui