Região pode ter mais de 8.000 casos de coronavírus

0
2495

Segundo estimativas da Secretaria Estadual de Estado da Saúde, a região do Departamento Regional de Saúde (DRS) 14, de São João da Boa Vista, da qual Vargem Grande do Sul faz parte, pode vir a ter 8.030 casos de coronavírus, sendo que destes, 1.606 serão em pacientes com casos complexos e 80 com necessidades de internação em Unidade de Terapia Intensiva (UTI).
Esta informação foi passada durante reunião realizada na quinta-feira, dia 19 de março, na DRS 14 em São João da Boa Vista, com a participação de vários prefeitos da região, secretários de Saúde, diretores e servidores da DRS-14, além de representantes do Ministério Público, dentre outras pessoas.
O prefeito municipal de Vargem Grande do Sul, Amarildo Duzi Moraes (PSDB) também participou da reunião e divulgou o encontro em suas redes sociais. Segundo informou, dentre os assuntos abordados estavam a de desenvolver ações conjuntas, dificuldades na aquisição de insumos como luvas, máscaras, álcool gel, o número de leitos de UTI, número de respiradores e padronização de protocolos de ação.
A DRS 14 é composta por 20 municípios, sendo eles: Vargem Grande do Sul, São João da Boa Vista, Itapira, Mogi Guaçu, Mogi Mirim, Casa Branca, Aguaí, Mococa, São José do Rio Pardo, Tapiratiba, Caconde, São Sebas
tião da Grama, Divinolândia, Itobi, Aguaí, Tambaú, Santo Antônio do Jardim, Santa Cruz das Palmeiras, Estiva Gerbi e Águas da Prata.
A população total destes municípios, conforme estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística em 2019, era de 834.870 pessoas, sendo que o município mais populoso é o de Mogi Guaçu, com 151.888 pessoas e o menor, Santo Antônio do Jardim com 5.954 moradores. São João da Boa Vista, conforme as estimativas do IBGE tinha em 2019, 91.211 pessoas e Vargem Grande do Sul, 42.845 pessoas.

Casos em Vargem

Com base nas estimativas fornecidas pela DRS-14 com relação ao número de possíveis infectados no desenrolar da epidemia do coronavírus, que é de 8 mil casos numa população de 834 mil pessoas que moram na região de São João da Boa Vista, o que daria algo em torno de 1%, se for aplicada a mesma porcentagem na população de Vargem Grande do Sul, que é de aproximadamente 42.800 pessoas, teria-se um universo de possíveis infectados na ordem de 428 casos na cidade.
Seguindo o mesmo raciocínio, se haverá 1.606 casos complexos entre os pacientes na região, cujo universo de pessoas adoentadas seria de 8.000 pessoas, o que daria em torno de 2%, se for aplicado para os possíveis contaminados em Vargem, que seria em torno de 428 pessoas, os vargengrandenses que iriam precisar de um atendimento mais complexo seriam em torno de 85 pacientes.
Já os casos graves que necessitariam de aparelho mecânico respiratório, pela mesma proporção, se está previsto na região em torno de 80 pacientes ocupando as UTIs, que seriam 5% aplicados em um universo de 1.606 pessoas, Vargem Grande do Sul teria em torno de 4 pacientes precisando ir para os aparelhos respiratórios, que possivelmente seriam os vargengrandenses que estariam no grupo de risco, acima dos 60 anos.

No limite

Para Vargem Grande do Sul, que conta tão somente com cinco aparelhos mecânicos para respiração, o número de quatro pacientes seria trabalhar no limite de sua capacidade, caso o número extrapole, a situação pode se agravar, visto que a falta de leitos de UTI é um problema sério em toda região.
Todos estes números são estimados com base nos dados fornecidos pela Secretaria Estadual de Saúde, através do DRS-14, da qual Vargem Grande do Sul faz parte. Mas, cada município vai reagir de uma maneira no combate à epidemia e os números para a região de São João da Boa Vista tanto podem estar subestimados, podendo ser muito maior do que o projetado, como também poderá haver um trabalho de conscientização e também uma atuação mais eficaz dos prefeitos e cidadãos para a gravidade da situação, fazendo o recolhimento necessário para que não se chegue a tal proporção o número de pessoas que vão contrair a doença.
“Vamos todos juntos nos dedicar para transformarmos estes números em mera estimativa. Com prevenção é possível”, afirmou Amarildo em suas redes sociais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui