Comércio é um dos mais atingidos pela crise da pandemia

0
1573
Rua do Comércio

Com a maioria das lojas, bares, restaurantes e lanchonetes fechadas ou trabalhando com pouquíssimo expediente, a crise provocada pelo coronavírus nestes estabelecimentos em Vargem Grande do Sul tende a agravar o desemprego na cidade.
Os comerciários vargengrandenses são filiados ao Sindicato dos Empregados no Comércio, o SinComerciários da micro região de São João da Boa Vista que já chegou a ter mais de 1.000 filiados antes da reforma trabalhista de 2017 e agora conta com bem menos filiados. Segundo o SinComerciários de São João, ainda não estaria havendo uma dispensa em massa dos trabalhadores com carteira assinada do comércio varejista de Vargem, pois os patrões estariam usando de outras medidas previstas no Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e Renda, a Medida Provisória 936/2020, para enfrentar os problemas gerados pela epidemia do coronavírus.
Dentre as medidas estariam a formação de bancos de hora, a suspensão de contrato, a redução da jornada de trabalho, que evitariam por enquanto a dispensa dos trabalhadores neste setor.
O empresário Arlindo Carmineti Neto, da Loja São Jorge, que emprega um bom número de funcionários, disse à reportagem do jornal que ainda não mandou ninguém embora depois do advento da Covid-19.
Mas sente que o impacto está sendo muito grande e que tem muitos empresários dispensando seus funcionários por não ter como abrir o estabelecimento, devido ao povo que está sem dinheiro para gastar e a própria doença em si, que por ser transmissível, está fazendo com que a maioria dos consumidores fique em casa.
“A crise é grande e vai piorar e mesmo que abrirmos as portas, não vamos vender como antigamente”, disse. Ele argumentou que vai esperar agora para ver os desdobramentos do que vai acontecer com as vendas do Dia das Mães, que cai no segundo domingo de maio, dia 10 de maio próximo.
Para ele, se o comércio for liberado para trabalhar neste dia e as vendas forem razoáveis, há uma possibilidade maior de não haver dispensa de funcionário no setor varejista, caso contrário, a situação tende a piorar e os patrões terão muita dificuldade em manter os empregados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui