“Felizmente, Esse Amor”

Chico Malagutti lança EP com cinco músicas. Fotos: Divulgação e Arquivo Pessoal

O publicitário e músico Francisco Malagutti, conhecido como Chico Malagutti, lançou o EP “Felizmente, Esse Amor”. O trabalho, que teve início em 2012, foi lançado neste mês, já está disponível nas principais plataformas de músicas, como o Spotify. O EP conta com cinco músicas: ‘Simples’, ‘As I Lie’, ‘Felizmente, Esse Amor’, ‘Roubar o Ar’ e ‘Que Se Inflama’. À Gazeta de Vargem Grande, Chico contou como foi o processo de elaboração, que segundo ele, foi bem variado.
“A primeira canção eu escrevi em 2012. Ao longo desse tempo, outras três foram tomando forma, em diversos períodos e de maneiras diferentes. Pelo menos duas delas tiveram versões bem distintas das finais, as que entraram no EP, já que ‘Roubar o Ar’ era uma balada bem romântica e ‘Simples’ tem uma versão bem mais enxuta, que já estava no SoundCloud há um bom tempo”, disse.
Além disso, ele comentou que a letra de ‘As I Lie’ é a que está escrita na parede do curta ‘Acordado’, de 2015. “A última foi ‘Que Se Inflama’ que escrevemos conjuntamente, o Tim Logobone e eu. A ideia era fazer uma cover de ‘Can’t Keep’ do Pearl Jam, para fechar o EP, mas não ficávamos satisfeitos com o arranjo”, explicou.
“Daí, ao invés de seguir tentando encaixar aquele arranjo específico naquela música, ele começou a desenvolvê-lo como algo novo. Eu levei a melodia para casa – ouvia, voltava, escrevia. O processo todo levou 9 anos. Mas também foi um processo cheio de pausas”, completou.
De acordo com o músico, ninguém tinha dinheiro para fazer a gravação quando ele teve a ideia, lá atrás. “Daí, em 2018, quando fui falar com o Tim sobre esse projeto, ele abraçou como se fosse dele. Na época era para o EP ter três canções. Mas durante o processo, fomos mexendo nas outras e decidimos incluí-las. Quando finalmente pegamos firme para finalizar o processo de gravação, quando todos os arranjos estavam prontos, estourou a pandemia. Daí tivemos de pausar tudo mais uma vez”, relembrou.
Chico pontuou que já tinha algumas das canções escritas e queria muito gravar um álbum que, segundo ele, já está todo escrito e, finalmente, em pré-produção. “O EP seria uma opção mais acessível e, depois que ‘Felizmente, Esse Amor’ ficou pronta, resolvi que seria em torno dela que o disco seria construído. Selecionei outras duas, ‘Simples’ e ‘As I Lie’ que já estavam prontas e comecei a me organizar para arcar com tudo”, contou.
“Mas de 2016 até aqui, cada hora aconteceu uma coisa diferente e a gente nunca levava à cabo a gravação. Foram anos de bandas, sendo Os Elefantes Terríveis e Gearbox, e muitos shows e projetos muito intensos, como o Tijolada Cultural e a Amigos da Cultura”, disse.
Além disso, o músico ainda tinha a faculdade de psicologia e sua agência de publicidade, o Estúdio M2OC, que, conforme contou, consumiam muito de seu tempo. “Depois de tanto perrengue para fazer a coisa acontecer, é uma delícia poder colocar essas canções no mundo. Principalmente porque, para além de toda dificuldade, foi um processo muito divertido. A gente se divertia muito quando estava no estúdio, inventando”, comentou.

Gravações
O EP foi gravado no estúdio Tim Logobone, em São João da Boa Vista, entre 2018 e 2021 e três músicos participaram, sendo Felipe Guimarães, que fez as baterias, Chico, que além de cantar, fez baixo e violão, e Timóteo fez o restante, como baixo, violão, guitarra, piano e backing vocals. “A produção e todos os arranjos são obra desse gênio indescritível que é o Tim”, falou.
Entre os desafios para elaborar o EP, Chico citou a falta de recursos como principal. “Apesar de toda a estrutura do estúdio, nós sempre precisávamos de alguma coisa que extrapolava o orçamento, que era basicamente zero mais o que sobrasse no mês. Então, foi muito legal poder contar com a ajuda de amigos tão queridos como o Fernando Versolato e o Rafael Cacholla, com aqueles instrumentos maravilhosos”.
Para ele, um outro obstáculo constante sempre foi o cansaço. “É bem complicado passar o dia trabalhando e parar lá pelas 19h, 20h e ainda ter o pique para fazer qualquer coisa. Tudo na sua vida pessoal e profissional acaba pedindo mais atenção e urgência, então seus projetos vão ficando em segundo plano. É por isso que estamos tão felizes por finalmente poder mostrar esse trabalho. É algo do qual nos orgulhamos muito”, pontuou.

Divulgação
O músico comentou sobre os planos para esse projeto. “O EP está em todas as plataformas de streaming do mundo e agora queremos que essas músicas sejam ouvidas. Estamos trabalhando no primeiro clipe e a ideia é que todas as canções possuam um filme próprio, que sejam experiências completas. Queremos explorar os conteúdos, a poesia, as possibilidades narrativas de cada uma delas, as sensações que cada uma das melodias pode proporcionar, o seu potencial”, falou.
“Isso tudo, é claro, para que possamos nos preparar para subir aos palcos, assim que for seguro, e apresentá-lo ao vivo. Estamos trabalhando no desenvolvimento do show e queremos muito tocar essas músicas; no palco é sempre uma energia completamente diferente e como são canções de uma forte carga emocional, será incrível poder mostrar tudo isso no show”, completou.
Segundo contou, já há outras músicas sendo trabalhadas. “Começamos a trabalhar no próximo álbum que, por enquanto, conta com 11 canções. Muitas delas também já estão prontas há algum tempo, por isso, estamos na fase de pré-produção: discussão, definição, arranjamento, mais discussão”, disse.
“E como nosso processo é cuidadoso, como gostamos de aproveitar cada pedacinho dele, e como já aprendemos que dá para acontecer uma pandemia global no meio da coisa toda, então ainda não tem data para sair. Mas estamos animados com as possibilidades: queremos seguir alguns caminhos criativos diferentes nesse próximo trabalho. Experimentar mais”, finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui