Moto taxistas relatam desafios enfrentados nessa pandemia

0
441
Gláucio afirma que número corridas com passageiros caíram. Foto: Arquivo Pessoal

Os mototaxistas de Vargem Grande do Sul contaram à Gazeta de Vargem Grande como foram afetados pela pandemia da Covid-19. A alta no valor da gasolina e nos serviços de manutenção de motocicletas fez inclusive, com que os mototaxistas subissem o valor da corrida para R$ 7,00.
Leandro Richard do Prado Custódio, do Moto Táxi Paulista, contou como a Covid-19 vem impactando no dia a dia da categoria. “Como estamos na pandemia, usamos álcool gel, máscara direto, na porta do estabelecimento do mototáxi estamos com álcool gel e todos os clientes que chegam a gente passa, higienizamos o capacete, mas o movimento deu uma boa caída”, disse.
Ele explicou que uma das dificuldades é o horário que estão em funcionamento, sendo das 7h às 19h. “Às vezes nem isso, como recentemente que ficamos 15 dias fechados. Eu entendo o lado do prefeito, mas nós também dependemos da clientela, porque as entregas também caíram com a abertura de outro aplicativo, que nos afetou bastante, pois dependemos das corridas dos clientes e das entregas também”, disse.
Conforme informou, felizmente todos os mototaxistas da Central fizerem o exame para detectar a presença do SarsCoV2, o novo coronavírus, causador da Covid-19, e nenhum teve a doença. “Fizemos o teste, que graças a Deus deu negativo, fomos vacinados, mas fomos muito afetados com a pandemia de outras formas, tivemos que subir a corrida, pois não estava mais compensando devido o preço do litro da gasolina estar quase R$ 6,00 já, manutenção de moto tá um absurdo de caro também”, comentou.
O mototaxista comentou que eles compreendem os clientes, mas também precisam ser compreendidos por eles. “Está muito caro o custo de vida, tudo está alto demais e aí fizemos esse aumento para ajudar”, pontuou.
Mototaxista há 10 anos, Leandro relatou que eles dependem do serviço, pois é de onde tiram seu sustento. “E de uns anos para cá, está difícil demais de lidar. A corrida estava R$ 5,00 e não compensava por causa do preço da gasolina, o pneu tá quase R$ 250,00, a relação mais baratinha é R$ 180,00, então é difícil para nós também, mas graças a Deus vai dando certo e a pandemia vai passar em breve”, completou.

Custos mais altos
O vereador Gláucio Santa Maria Gusman, de 31 anos, é motoboy há 9 anos e também falou com o jornal sobre como a pandemia da Covid-19 vem afetando o dia a dia dos moto taxistas.
Conforme explicou, muitas empresas solicitam os serviços dos moto taxistas para delivery e isso tem aumentado, porém, a corrida com passageiros caiu drasticamente. “Um vai compensando o outro”, disse.
Ele contou que há dias que trabalha mais de 16 horas por dia, das 6h às 22h. “O combustível e a manutenção das motos é o que mais castiga a nossa classe, uma vez que teve um aumento de 50% nos últimos anos”, pontuou.
O moto taxista contou que no Moto Táxi Smem, até o momento, felizmente nenhum dos moto taxistas contraiu a Covid-19 e que eles se preocupam o tempo todo em cumprir as normas sanitárias, como o uso de álcool gel, o distanciamento, o uso de máscaras e a higienização constante.

O mototaxista Leandro falou dos desafios enfrentados na pandemia. Foto: Arquivo Pessoal

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui