Área próxima ao Rio Verde deve ganhar mais investimento público

Área onde será construída a outra margem da avenida. Foto: Reportagem

Recentemente foi publicado no jornal oficial do município a declaração de utilidade pública, para fins de desapropriação por via amigável ou judicial, de um terreno com frente para a rua 7 de Setembro, com área de 8.088,55 metros quadrados, onde será construída a avenida ao longo do Rio Verde, nas terras onde se localizava a antiga Cerâmica Bologna.
Naquela região, o prefeito Amarildo Duzi Moraes (PSDB) vem fazendo um grande investimento para modernizar e melhorar o fluxo de veículos da cidade, principalmente ligando a Via Expressa Antônio Bolonha aos bairros localizados no Jardim Redentor e Vila Polar.
As melhorias tiveram início com a pavimentação da Avenida Alice de Carvalho Buosi em janeiro de 2020, com uma verba conseguida junto ao governo federal pelo ex-deputado Sílvio Torres, no valor de R$ 500 mil na época. Além do asfalto, calçada, meio fio e iluminação, a avenida também ganhou arborização e uma nova ponte ligando a avenida aos outros bairros do Jardim Fortaleza e imediações.
Outra obra importante, foi a construção da Avenida Aurora Fernandes Bolonha, na margem direita do Rio Verde que passou a ser interligada também com a Av. Alice Buosi. Entre a avenida e o Rio Verde, foi deixado um espaço que foi arborizado e poderá ter mais opções e lazer ao público, como por exemplo, uma pista para a realização de caminhadas. Com a nova desapropriação, o prefeito Amarildo pretende agora construir uma nova avenida no lado esquerdo do Rio Verde, paralela à Av. Aurora Fernandes Bolonha.
O local já está atraindo a atenção dos investidores e os proprietários dos Supermercados Ideal estão construindo o novo prédio da empresa na esquina da Av. Alice Buosi com a Via Expressa Antônio Bolonha. Com a construção da nova avenida, a região deverá se valorizar ainda mais.

Plano Diretor contempla criação do Parque Linear

Local nas imediações que poderia abrigar um belo parque


Aproveitar melhor as margens dos córregos e rios que cortam a cidade, sempre foi uma preocupação das novas gerações de administradores do município. Estas áreas no passado nunca foram devidamente utilizadas em prol da população, com muitas vezes os prefeitos e vereadores da época deixando construir prédios e residências praticamente colados ao rio, sem respeitar as margens que a lei determinava.
Aproveitar melhor estes espaços, unindo a defesa do meio ambiente com áreas de lazer, esporte e cultura, fazem parte de uma nova mentalidade que só traz benefícios para os munícipes, como por exemplo, a construção da Barragem do Rio Verde, os novos reservatórios de água que estão sendo construídos junto ao rio e as avenidas que o atual prefeito Amarildo construiu e está em fase de construção.
Como já publicado pelo jornal Gazeta de Vargem Grande, a extensa área de várzea que o Rio Verde construiu ao longo de milhares de anos e que corta a cidade de Vargem Grande do Sul, pode dar lugar à construção do Parque Linear Ecológico do Rio Verde.
A criação do Parque Linear Ecológico do Rio Verde foi inserida no Plano Diretor do município que está para ser enviado à Câmara Municipal para análise e aprovação.
Nele, a grande área de várzea que acompanha o Rio Verde praticamente dentro da área urbana da cidade, com início na Barragem Eduíno Sbardellini e terminando perto da Estação de Tratamento de Esgoto, sentido Casa Branca, seria destinada à preservação e criação de lagos e outros projetos sociais, esportivos, culturais e ambientais, visando o futuro de Vargem Grande do Sul.

Novo parque
Cinquenta anos passam rapidamente e o bom gestor deve pensar no futuro do município. Cidades que tiverem esta preocupação no presente, investindo em meio ambiente, ruas arborizadas, parques e jardins, certamente vão atrair moradores com maior poder aquisitivo para nela morar e investidores.
Ao lado da Av. Aurora Fernandes Bolonha, existe uma área que comportaria muito bem um novo parque ou bosque no município. Poderia ser de menor dimensão, mas que daria ao local uma identidade única e aos frequentadores mais uma opção de lazer.
Também estaria conectado ao novo Parque Linear que se pretende construir um dia no município. Valorizaria toda aquela área, inclusive as remanescentes, cujos proprietários poderiam ter um ganho maior dos seus imóveis com a construção do novo parque.
Um parque simples, com ruas de terra, com manutenção mais em conta, como já existe em várias cidades brasileiras e em muitas capitais mundo afora. Um bom projeto arquitetônico valorizaria a área, com a construção de prédios residenciais, com aproveitamento melhor do local e adensamento apopulacional, contribuindo também para a cidade não se espalhar tanto, uma vez que o lugar citado está bem próximo do Centro da cidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui