Romaria dos Cavaleiros de Sant’Ana: 46 anos de fé e louvor à Padroeira

Cantora Alessandra se apresentou na live da Romaria, em 2020. Foto: Prefeitura

Reconhecida como uma das maiores expressões religiosas do Estado de São Paulo, a Romaria dos Cavaleiros de Sant’Ana reúne milhares de devotos que homenageiam a padroeira de Vargem Grande do Sul, Nossa Senhora Sant’Ana, desfilando com seus cavalos, charretes e carros de boi. Mas no começo, há 48 anos, eram poucos cavaleiros movidos pela fé, que estavam apenas plantando uma semente do que se tornaria uma manifestação de devoção que se aproxima dos 50 anos.
Falecido em 2012, o ex-prefeito Huber Braz Cossi, em uma das entrevistas que concedeu à Gazeta de Vargem Grande, contou que ao tomar conhecimento de uma romaria de cavaleiros realizada em Andradas, organizou um evento semelhante para louvar a padroeira Sant’Ana, dentro da programação festiva em celebração do centenário do município, em 1974. No ano seguinte, em 1975, a cidade realizava oficialmente a sua primeira procissão de cavaleiros em homenagem à Sant’Ana.
A origem mais precisa da Romaria tem ainda outras histórias que são contadas pelos primeiros romeiros. Uma delas é a que no ano do início do desfile, vários acidentes graves aconteceram em Vargem Grande do Sul. Um deles tirou a vida de cinco pessoas, gerando grande comoção no município. Foi então que começou a surgir entre os vargengrandenses rumores que a queda do antigo cruzeiro, que já estava podre, seria a causa de tantas desventuras.
O prefeito Huber teria então tido a ideia de providenciar um novo cruzeiro e para transportá-lo da Praça da Matriz até a Praça de Nossa Senhora Aparecida, foi organizado o cortejo, que partiu da Igreja de Santo Antônio. Os cavaleiros beijaram as fitas no novo cruzeiro, fixado na praça da Igreja de Nossa Senhora Aparecida e receberam as bênçãos do padre Celestino C. Garcia.

Pandemia
A Romaria dos Cavaleiros de Sant’Ana seguiu de maneira ininterrupta até 2020. Com a pandemia da Covid-19, foi preciso suspender o desfile de cavaleiros daquele ano e também do ano passado. Mas para que a data seguisse marcada no calendário da cidade, o Departamento Municipal de Cultura e Turismo, com apoio da Comissão Organizadora, realizou uma live especial com apresentações musicais da Orquestra de Viola Caipira, dirigida pelo maestro Luis Filipine e pela dupla Alessandra e Agnaldo.
A live transmitida pelas redes sociais da prefeitura ainda contou com a exibição de fotos e muitas histórias sobre a Romaria, contadas pela diretora de Cultura, Márcia Iared e o assessor do Departamento de Cultura, Lucas Buzato. Foi exibido ainda o documentário Viola e Saudade, que relata a história da Romaria e traz trechos dos desfiles de anos anteriores.
Em 2021, foi celebrada missa com a presença da Comissão Organizadora da Romaria e acompanhamento da Orquestra de Viola Caipira e foi reexibido o documentário Viola e Saudade, também nas redes sociais da prefeitura. Finalmente, em 2022, será possível realizar a 46ª Romaria dos Cavaleiros de Sant’Ana.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui