Falece João Maurício, grande incentivador da Romaria

0
2737
João Maurício e seu cavalo Negrão, em uma das Romarias. Foto: Arquivo Pessoal

Uma tradição se perpetua, porque novas pessoas vão assumindo posições de comando e contribuindo com seu trabalho e inovação para que ela possa ir ao longo do tempo se renovando e conquistando novos adeptos. Foi o que aconteceu com o empresário João Maurício Ribeiro de Andrade e sua participação na Romaria dos Cavaleiros de Sant’Ana.
João Maurício faleceu aos 73 anos de idade, nesta quarta-feira, dia 14 de abril e na década de 80 foi um dos impulsionadores da Romaria, criada em 1974 na gestão do então prefeito Huber Brás Cossi. Proprietário durante mais de 20 anos da Cerâmica União, na época juntou forças com o jovem Celso Ribeiro, que participava da gestão do prefeito Alfeu Rodrigues do Patrocínio (1982/1988) para ajudar na organização da Romaria dos Cavaleiros de Sant’Ana.
Além de participar ativamente da organização, João Maurício desfilava junto dos cavaleiros, montando o cavalo Negrão, da raça Mangalarga, que era uma atração à parte. João Maurício participou ativamente da Comissão Organizadora do evento durante 26 anos, muitos deles como presidente.
A inclusão do rodeio logo após a realização da Romaria, foi um dos atrativos que João Maurício, juntamente com Celso Ribeiro na época presidente da Comissão Organizadora introduziram no evento. Na entrevista que concedeu ao jornal Gazeta de Vargem Grande em 2018, ele também se recordou de como os carros de boi passaram a fazer parte do cortejo da romaria, depois que assistiram numa novela da Rede Globo, a apresentação dos mesmos.
“Tanto pesquisaram que encontraram os carreiros, localizados em Ipuiuna (MG). E foram até a cidade mineira contratar os carreiros para desfilarem na Romaria. Até hoje os carros de boi são uma das atrações mais aguardadas pelo público da Romaria”, citou na época à reportagem da Gazeta cujo título foi “João Maurício: 26 anos de Comissão Organizadora”.
Na entrevista, disse que partiu dele a ideia de se realizar uma missa relacionada à Romaria nos dias que antecedem a festa. Destacou que em uma dessas missas, celebradas pelo padre Décio, foram distribuídos botons em homenagem à Sant’Ana e à Romaria. Em outra edição, tercinhos foram entregues aos devotos. João Maurício falou que muitos dos planos que tiveram ao longo dos anos, são executados até hoje, como as comitivas das comunidades rurais, as charretes e carroças seguirem na frente dos cavalos, entre outros.
Após 15 anos residindo no Tocantins, onde tinha cerâmica de tijolos, João Maurício havia retornado a Vargem Grande do Sul e dentre seus projetos, estava retornar na organização da Romaria de Sant`Ana. Seu falecimento, segundo apurou o jornal, deu-se por complicações após contrair a Covid-19, da qual estava se restabelecendo. Seu sepultamento aconteceu no dia 15 de abril, no Cemitério da Saudade. Ele deixou a esposa Maria José, o filho Carlos Henrique e netos.

Depoimentos
Algumas pessoas que participam da Romaria, como é o caso do conhecido João do Deco, conheceram Maurício e falaram da sua importância para o crescimento do evento. João fala de um tempo em que a Romaria não contava com muita verba da prefeitura municipal, não tinha dinheiro para sua realização e João Maurício e outros companheiros saiam pedindo, nas empresas e até de “de casa em casa”, disse.
O ex-prefeito Celso Ribeiro, que durante muitos anos foi presidente da Comissão Organizadora da Romaria dos Cavaleiros de Sant’Ana, atualmente vice-prefeito de Vargem Grande do Sul, em depoimento disse que durante vários anos esteve junto com Maurício na organização da Romaria e do rodeio.
“O que era um evento bem amador, passou a ser mais profissional, graças ao amor que Maurício tinha para com a Romaria”, afirmou.
“João Maurício deixa seu lugar na história de Vargem Grande do Sul por ter sido um dos que mais contribuíram para o maior evento popular e religioso de nosso município, que é a Romaria dos Cavaleiros de Sant`Ana”, disse Celso Ribeiro.
Também o atual vice-presidente da Comissão Organizadora da Romaria, Luís Carlos Prates, deu seu testemunho ao jornal sobre João Maurício. “A Romaria deve muito a ele, foi uma das pessoas que mais contribuiu com ela. Em um tempo que não tinha recurso e dependia muito do empenho das pessoas, colocava como empresário seus equipamentos, como caminhão e máquina, para que o rodeio pudesse ser realizado e com isso, engrandecia a bela festa em homenagem à Padroeira de Vargem Grande do Sul”, disse Prates.
Dona Márcia Iared, que preside atualmente a Comissão Organizadora da Romaria, também fez coro às vozes que enalteceram o trabalho de João Maurício frente a romaria, para ela, um dos mais dedicados pioneiros da mais tradicional festa da cidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui