Vargengrandenses assinam carta em defesa do Estado Democrático de Direito

Inicio da carta que pode ser acessada e assinada pela população

Vários vargengrandenses estão assinando a “Carta às Brasileiras e aos Brasileiros em defesa do Estado Democrático de Direito” lançada terça-feira, dia 26 de julho, por juristas e pela Faculdade de Direito da USP (Universidade de São Paulo). Na sexta-feira, quando do fechamento da presente matéria, mais de 430 mil brasileiros já tinham assinado o documento.
Entre os que assinaram estão empresários como Pedro Moreira Salles (Itaú/Unibanco), Luiza Trajano (Magazine Luiza), Fábio Barbosa (Natura), Eduardo Vassimon (Votorantim) e Walter Schalka (Suzano Papel e Celulose), associações que reúnem bancos, setor industrial, as principais centrais sindicais do país, como CUT e Força Sindical, ex-ministros do STF e artistas brasileiros. A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), também está preparando um manifesto em prol da democracia.
Defendendo a Constituição Federal, a democracia e o processo eletrônico de apuração de votos, o documento será apresentado presencialmente no dia 11 de agosto, quando se comemora a criação dos cursos de direito no Brasil, na seda da Faculdade no Largo São Francisco, em São Paulo.
As constantes críticas do presidente Bolsonaro (PL) à segurança das urnas eletrônicas, aos membros do Supremo Tribunal Federal (STF), do Superior Tribunal Eleitoral (STE), com denúncias infundadas contra as urnas eletrônicas – não apresentou nenhuma prova concreta até o momento – incitando seus seguidores contra a ordem democrática, dando a entender que não aceitará o resultado das eleições do dia 2 de outubro, caso o ex-presidente Lula do PT seja o vencedor, acendeu o alerta na sociedade brasileira, que, temerosa de um golpe de estado, está se posicionando fortemente a favor da democracia e do resultado das urnas.
O documento foi inspirado na Carta pela Democracia de 1977, redigida pelo jurista Goffredo da Silva Telles Júnior que na ocasião denunciou o governo militar e o regime de exceção que vivia o Brasil, após o golpe militar de 1964. O renomado jurista pedia na sua carta a volta do estado de direito e a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte.
O presidente Jair Bolsonaro após chamar de cartinha o manifesto, também publicou nas suas redes sociais um breve texto assinado por ele com o título “Carta de manifesto em favor da democracia”, contendo a frase: “Por meio desta, manifesto que sou a favor da democracia”.
Quem quiser assinar a carta em defesa do Estado Democrático de Direito, basta acessar o link https://www.estadodedireitosempre.com/assinar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui