Um ato tardio, mas importante

Em alguns pontos, é possível observar os danos causados pelo peso de veículos e outras ações

Cuidar de suas praças e monumentos é um traço de civilidade e desenvolvimento de uma comunidade. A praça é por excelência, um local para se passear, caminhar, observar a natureza, conviver com outras pessoas, cumprindo um papel social e melhorando a qualidade de vida de seus frequentadores.
Cartão de visita da cidade de Vargem Grande do Sul, já centenária, a Praça Capitão João Pinto Fontão, também conhecida como Praça da Matriz, já teve seus tempos áureos, com fonte luminosa funcionando, coreto onde se ofereciam músicas, lago com patinhos nadando, jardins belos e bem cuidados, com uma grande frequência de moradores que caminhavam por seus passeios e com milhares de casais nestes anos todos trocando juras de amor em seus bancos.
Os tempos foram mudando, a praça deixou de ter o glamour de antigamente, veículos passaram a nela se adentrar e estacionar, buracos foram feitos em seu revestimento de mosaico português, a fonte deixou de funcionar, sua iluminação ficou precária e seus belos jardins foram sendo relegados a um segundo plano.
Restaurar a Praça Cap. João Pinto Fontão sempre foi objeto de campanha de vários candidatos a prefeito. Muitos assumiram e pouco fizeram para este importante centro de convivência vargengrandense. O prefeito Amarildo Duzi Moraes (PSDB) fez vários investimentos para revitalizar a principal praça da cidade, com um novo paisagismo, nova iluminação, conserto do mosaico português e deu início à restauração da fonte luminosa, atualmente parada por falta de recursos.
Agora, o prefeito acaba dando mais um importante passo para a conservação deste importante patrimônio público, ao decretar o mosaico português que reveste a Praça Capitão João Pinto Fontão e seu entorno, como sendo patrimônio histórico e cultural do município, proibindo que carros, caminhões pesados e máquinas adentrem na praça e também que o mosaico seja danificado por perfurações.
O jornal Gazeta de Vargem Grande sempre se posicionou contra a entrada de veículos pesados na Praça da Matriz e também seu uso como estacionamento. Precisou o município gastar um bom dinheiro no restauro do mosaico português para se ter uma noção de quanto é necessário preservá-lo. Para tanto, bastou um simples decreto, coisa que poderia ter sido feito há muitas décadas atrás, evitando todo o prejuízo causado e também os estragos feitos.
Ainda há muito a ser feito, tem muito restauro para acontecer na praça, não só no mosaico português, como na fonte luminosa e na arborização da mesma, onde existem árvores que precisam ser suprimidas para que o jardim possa ter uma harmonia e beleza que a principal praça da cidade merece.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui