Mobilização pela transmissão das Sessões do Legislativo continua

0
605

O movimento que busca a transmissão online das sessões de Câmara de Vargem, continua se mobilizando para divulgar este pleito à população e também sensibilizar os vereadores sobre a questão.
Além de dezenas de listas de abaixo assinados com moradores aderindo à inciativa, os membros do grupo também têm procurado saber como é feita a transmissão nas cidades da região, uma vez que a Câmara de Vargem é uma das únicas que ainda não disponibiliza esse serviço.
Anderson Luis Fonseca Pirola, 27 anos, contador da prefeitura de São José do Rio Pardo, é um dos membros do grupo e comentou à Gazeta de Vargem Grande que costuma assistir às sessões dos vereadores de São José. “Atualmente acompanho a sessão online da Câmara Municipal em São José do Rio Pardo pois é nessa cidade em que exerço minha profissão, e, como contador da Prefeitura de São José, os assuntos discutidos nas sessões, em sua grande maioria, refletem diretamente em meu trabalho. Por residir em Vargem Grande do Sul, fica difícil participar presencialmente das sessões da referida cidade, sendo assim, sempre que possível, acompanho as sessões online. Contudo, mesmo quando não é possível assistir no dia, é possível acessar o canal da Câmara pelo Youtube e assistir as sessões gravadas facilitando muito para que eu fique inteirado dos acontecimentos do Município”, disse.
Ele comentou ainda que acompanha as sessões da Câmara de Rio Pardo desde janeiro de 2016, quando começou a trabalhar na cidade. Para ele, oferecer esse tipo de serviço á população é bastante positivo. “A avaliação é a melhor possível, em minha opinião, não há pontos negativos para a população. Com as transmissões online, fica caracterizado um compromisso de maior transparência do poder público com a população. Transparência deveria ser algo intrínseco dos agentes públicos, afinal, estão lidando com os interesses da população, por isso tem o dever de prestar contas. Com os avanços tecnológicos e com a facilidade que a internet traz às pessoas, a transmissão online, em minha opinião, seria a melhor forma de prestar contas ao povo. Além dos benefícios à população em geral, acredito que a transmissão seria benéfica aos vereadores. Com tantos casos de corrupção e desmandos em nosso país, grande parte da população está desacreditada na política, achando que “todo político é ladrão”. Com as transmissões online, muitas pessoas poderiam acompanhar os trabalhos dos vereadores e do prefeito, vendo quem realmente tem o compromisso com a população e está lutando pelo interesse público”, observou.
A Gazeta questionou se ele costuma acompanhar as reuniões do Legislativo de Vargem. “Não estava acompanhando as sessões. Recentemente comecei a acompanhar os trabalhos realizados. Como trabalho fora, algumas vezes fica difícil chegar a tempo para participar das sessões, por isso sou a favor das gravações e transmissões online das sessões. Por serem gravadas as sessões de São José do Rio Pardo e estarem disponíveis no canal do Youtube, caso algum munícipe não consiga acompanhar online, poderá acessar quando puder e assim não perder nenhum assunto discutido. Essa prática também poderia ser adotada em Vargem Grande do Sul”, sugeriu.
Questionado se caso em Vargem as sessões fossem transmitidas, a população iria se interessar e acompanhar mais o trabalho do Legislativo, Anderson avaliou que sim. “Com certeza, muitas pessoas passariam a acompanhar os trabalhos realizados pela Câmara Municipal. Muitos vargengrandenses que estão fora da cidade, do estado e até mesmo do país poderiam assistir e acompanhar. A título de exemplo, eu trabalho em São José do Rio Pardo e Moro em Vargem Grande do Sul, a distância entre as cidades é cerca de 35 km. Já a distância entre minha casa e a Câmara de Vargem é cerca de 1 km. Fica mais fácil eu assistir uma sessão da Câmara de Rio Pardo por ser online do que assistir uma sessão da Câmara de Vargem por necessitar de deslocamento. Também devemos pensar nas pessoas com mobilidade reduzida podendo acompanhar do conforto de suas casas, sem a necessidade de se deslocarem até a Câmara, evitando esforços desnecessários”, ponderou.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui