Paulo Guerra bate recorde brasileiro de salto

0
509
Paulinho salta para bater o recorde brasileiro

O primeiro Campeonato Brasileiro de Atletismo Paralímpico terminou na manhã do domingo, 30, em São Paulo. A competição, que teve seu início na sexta-feira, 28, contou com a presença de 522 atletas de 23 estados mais o Distrito Federal. Entre os atletas participantes, o vargengrandense Paulo Guerra além de levar a medalha de ouro, ainda bateu o recorde brasileiro no salto em altura.
Paulo Guerra competiu na junção das classes T13/T46/T47. O atleta paralímpico teve dificuldades no aquecimento, errando alguns saltos antes do início da prova. Mas ele não se abalou e travou uma boa disputa contra seu principal adversário, o carioca Jorge Veiga que liderava o ranking nacional da prova. Ambos iniciaram com a marca de 1,70 m, e a partir daí, travaram uma acirrada disputa até Jorge assumir a liderança da competição ao ultrapassar a marca de 1,81 m na primeira tentativa e Paulo ter falhado na sequência, necessitando de um segundo salto.
Paulo deu a resposta e ultrapassou a marca para mostrar que ainda estava vivo na prova. Na altura seguinte, 1,84 m, valeu a garra do atleta de Vargem, que disputa pela equipe do Clube Roda Solta, em Itajaí, saltava na frente de Jorge e deu o troco no carioca ao ultrapassar a marca na primeira tentativa jogando a responsabilidade no adversário, que falhou nos três saltos ficando com a prata.

Recorde

Paulo foi ainda além, pediu para que a altura seguinte fosse de 1,87 m, que lhe renderia o recorde brasileiro da classe, que era de 1,85, marca que foi estabelecida há alguns anos pelo próprio atleta. E com um belo salto, Paulo bateu a marca na primeira tentativa, superando o recorde brasileiro do salto em altura na categoria.
“Estou muito feliz com o resultado da minha prova. Foi um ano bem puxado, pois tinha voltado após a lesão que sofri pela segunda vez no meu joelho e tive um pouco de insegurança ao saltar novamente”, comentou à Gazeta de Vargem Grande.
“A cada competição que participei, eu fui pegando confiança e a cada treino eu aprendia mais. Assim foi onde consegui chegar até onde estou hoje, batendo o recorde brasileiro, que já era meu, com a marca de 1,87 m”, disse. “Foi uma competição muito emocionante, pois pude sentir a vibração positiva das pessoas que lá estavam e se emocionaram junto comigo no final da prova”, afirmou. “Agradeço muito a Deus por essa conquista, ao meu técnico Sidney Reinhold por todo ensinamento, ao clube Roda Solta, e a todos os meu patrocinadores, pois sem a ajuda de cada um deles, eu não teria conseguido”, afirmou.

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui