Morre o jornalista vargengrandense Washington Novaes

0
1916

O jornalista vargengrandense Washington Luís Rodrigues Novaes morreu em Aparecida de Goiânia (GO), no final da noite desta segunda-feira, dia 24, aos 86 anos. Washington era filho do professor Henrique de Brito Novaes e da modista Arlinda Novaes e irmão de Regina Maura, Luiz Henrique, a conhecida professora Sílvia Aparecida Novaes Filipini e Paulo Roberto.

O jornalista passou por uma cirurgia na quinta-feira, dia 20, para a retirada de um tumor no intestino. No entanto, o seu quadro de saúde se gravou e ele não resistiu.

Washington foi editor do Globo Repórter e do Jornal Nacional e atualmente era colunista do jornal O Estado de S.Paulo. Ele dedicou grande parte da carreira a questões ambientais e indígenas. Era também autor de diversos livros.

Ele deixa a esposa Virgínia e os filhos Pedro, João, Marcelo e Guilherme.

Prêmios

Entre os prêmios nacionais que ganhou ao longo da sua carreira estão o Prêmio Golfinho de Ouro (1988), da Secretaria de Cultura do Rio de Janeiro, pela obra na TV; o Prêmio Esso de Jornalismo, Especial de Ecologia e Meio Ambiente, pela série de artigos sobre a Eco-92.
Prêmio da Câmara Americana de Comércio (2001) pelo documentário “Biodiversidade – Primeiro Mundo É Aqui”; Prêmio Embratel (2003), pelo documentário “A Década da Aflição”, produzido para a TV Cultura de São Paulo; Prêmio Professor Azevedo Netto (2004), conferido pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental.

Entre os prêmios internacionais estão a Medalha de prata no Festival de Cinema e TV de Nova Iorque (1982), pela direção do documentário “Amazonas, a pátria da água”; Medalha de ouro no Festival Internacional de TV de Seul, Coréia do Sul (1985), pela série “Xingu – A Terra Mágica”; Sala especial na Bienal de Veneza (1986) para a série “Xingu – A Terra Ameaçada”; Medalha de ouro no Festival de Cinema e TV de Havana (1990), pela série “Xingu – A Terra Mágica”; Prêmio Internacional de Jornalismo Rei de Espanha (1990), pela série de artigos “A Amazônia e o futuro da Humanidade”; Melhor Filme na categoria “Educação Ambiental” no VIII Festival Internacional de Cinema e Vídeo de Ambiente, na cidade de Seia, Portugal, com o documentário “”Primeiro Mundo é Aqui” (2002) e Prêmio Unesco de Meio Ambiente (2004).

Sepultamento

Seu corpo será velado após as 13 horas, desta quarta-feira, dia 26, na Biblioteca Victor Lima Barreto, e seu sepultamento está previsto após as 16 horas, no Cemitério da Saudade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui