Ensinamentos que são passados de geração para geração

0
1989
Maria Eugênya, Francine, Maria Gimenes e Laurinda. Foto: Arquivo Pessoal
Maria Eugênya, Francine, Maria Gimenes e Laurinda. Foto: Arquivo Pessoal

O Dia das Mães é uma das datas mais celebradas em todo mundo. Passou a ser comemorada no Brasil sob influência americana em 1918 e foi oficializada pelo presidente Getúlio Vargas em 1932, mas desde a Grécia Antiga as mães já eram homenageadas.
A mãe é a primeira figura que uma criança tem contato, sendo crucial para a formação – e humanização – do indivíduo. A missão de ser mãe se inicia no princípio da gravidez e não tem fim. Filhos podem crescer, saír de casa, voltar, formar suas famílias, mas mãe é para sempre.
Presente em todos os momentos, as mães acolhem, cuidam, amam e educam seus filhos, preparando-os para o futuro e para enfrentar um mundo que anda cada vez mais inóspito. Por isso, tratam de cobrir seus filhos de conselhos. Muitos deles, ouvidos da própria mãe.
A professora aposentada Maria Aparecida Gimenes Mendes, de 70 anos, tem três filhos e três netos. Ela contou à Gazeta, o conselho que teve de sua mãe Laurinda Mendes Gimenes, recém-falecida aos 91 anos. A lição que ela leva por toda sua vida e quis que seus filhos aprendessem é a honestidade. “O conselho da minha mãe que mais me marcou foi ela dizer repetidas vezes para que eu fosse honesta, pois eu acredito que honestidade é a base da formação do caráter de um ser humano, e ela sabia disso”, conta Maria.
A filha mais nova de Maria Gimenes, a vice-diretora da Escola Estadual Gilberto Giraldi, Francine Helena de Godoy, de 40 anos, contou que o conselho de sua mãe que ela guardou e quis que sua filha aprendesse foi ‘tenha dignidade’. “Acho que o conselho que minha mãe deu a mim e meus irmãos que mais me marcou, foi para que nós tivéssemos dignidade. Dignidade e brio andam muito juntos e é o que te faz ter valor e respeito”, finaliza Francine.
Ao fazer a mesma pergunta para Maria Eugênya de Godoy, a jovem estudante de 14 anos, última descendente da família, ela respondeu que os conselhos que mais a marcaram, não recebeu apenas de sua mãe, e sim das três gerações anteriores a sua. “Tanto minha mãe, quanto minha avó e minha bisavó sempre me falavam e ainda me falam algumas coisas. Agora pensando, acho que o que eu mais ouvi em toda minha vida foi ‘diga com quem tu andas que te direis quem tu és’, e eu concordo, ninguém quer sua filha, ou sua neta, ou até mesmo sua bisneta andando com más pessoas, ou sendo julgada sem merecer, já que nossa sociedade é bem preconceituosa e julgam as pessoas pelas aparências”, diz a jovem.
A estudante finalizou com outro conselho que recebeu de seus familiares e gostaria de passar a seus filhos no futuro. “Outro conselho que eu gostaria de passar para frente é que ‘toda ação tem uma consequência’, já que tudo o que fazemos terá uma consequência depois e, às vezes, ela nem é muito boa, mas mesmo assim você vai ter que aguentar e não vai poder nem reclamar”, disse a jovem.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui