Sindicato dos trabalhadores rurais não sentiu tanto os efeitos da pandemia

0
454
Gilson Donizete do Lago, presidente do Sindicato, observou que trabalhadores e empresários se adaptaram ao trabalho na pandemia. Foto: Arquivo Gazeta

Embora tenha sido atingido também pela pandemia do coronavírus, o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Vargem Grande do Sul não sentiu tantos os efeitos da epidemia como outros sindicatos, como o dos comerciários por exemplo.
Com cerca de 700 associados que pagam mensalmente uma contribuição ao sindicato, o presidente Gilson Donizete do Lago disse que os trabalhadores rurais que prestam serviços em várias fazendas do município e da região têm tido trabalho junto ao agronegócio. “No começo foi difícil, até os produtores tomarem conhecimento da extensão da doença, mas depois foram se adaptando, normalizando e deu uma boa melhorada”, afirmou o presidente Gilson.
Os trabalhadores vivem do ciclo das várias culturas da região, como cana de açúcar, café, batata, laranja, cebola e sempre há trabalho. “Eles ficam alguns períodos da entressafra sem trabalhar, mas logo surge outra colheita ou plantio e o serviço está assegurado. Não é como nas indústrias ou no comércio”, explicou.
Também argumentou que a retirada das contribuições sindicais não afetou tanto seu sindicato, pois quando elas vinham, só uma parte ficava com o sindicato de Vargem, parte ia para o próprio governo, outra para as federações e confederações.
O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Vargem continua oferecendo aos seus associados convênios com médicos, inclusive pediatra, dentista, laboratórios, cabeleireiro e também cursos para aprimorar a mão de obra.
“Está havendo uma grande mudança com a mecanização do campo e os trabalhadores precisam aprimorar sua mão de obra, se adaptarem para fazer frente aos novos tempos”, disse. Explicou que melhorar a mão de obra também é muito bom para o empregador, pois aumenta a produção e ele pode manter os empregos e também melhorar os salários.
“Sindicato é o órgão também da negociação, da reivindicação de melhores salários e condições dignas de trabalho”, falou ao comentar as funções do sindicato que dirige. A categoria se prepara para as negociações da data base da cana de açúcar que acontece agora a partir do dia 1º de maio e da laranja, que vai ser em julho.
O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Vargem Grande do Sul foi fundado em agosto de 1992 e possivelmente veio na esteira dos acontecimentos que ocorreram logo depois da greve que houve em 1990 dos trabalhadores da Dedini, cuja reivindicação junto aos políticos e líderes dos trabalhadores rurais era de uma entidade que os representassem na cidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui